segunda-feira, 18 de maio de 2015

A BELEZA QUE ESTAVA ADORMECIDA EM VOCÊS (*)

Meu pai me empurrava para a engenharia mecânica, que ele achava a coisa mais importante do mundo. Pelo menos fiz o curso técnico de mecânica de autos no SENAI, aos 14 anos. E assim fui, achando que seria engenheiro. Depois mudei visceralmente de ideia. Resolvi ser violinista. Estudei muito, não decolei, eu não tinha talento. Norman Vincent Peale e Lair Ribeiro são enganadores: não é verdade que “querer é poder”. Por mais que a tartaruga reze, Deus não vai lhe dar asas para ela voar como Águia. O que nunca me passou pela cabeça é que algum dia eu seria escritor. Menino, eu gostava de ler. Adolescente, só lia os filósofos gregos e revista policial, especialmente Jacques Douglas, que era o terror da minha mãe. Virei escritor num estouro de pipoca. Independentemente de vontade, planos e preparo. Puro hobby. Não me perguntem como escrevo. Diotima, sacerdotisa que deu aulas de sabedoria a Sócrates, disse que todos nós estamos grávidos de beleza. A beleza está dentro da gente, querendo sair. E, de repente, chega a hora do parto e ela nasce. Assim aconteceu comigo, do jeito mesmo como acontece com a pipoca. Vivo repetindo àqueles que gostam das coisas que escrevo: “Vocês gostam do que escrevo porque o que escrevo faz despertar a beleza que estava adormecida em vocês”. (*) Jornalista e Escritor EUGENIO SANTANA – Registro MTb 1319/JP. Autor de seis livros publicados – O encantador de leitores vorazes, estrelas, celebridades, pérolas, esmeraldas, rubis e diamantes...