terça-feira, 27 de janeiro de 2015

UMA FORMA DE FICAR E PARTIR... (*)

UMA FORMA DE FICAR E PARTIR – Há muito vou indo como zéfiro respirando pelas causas desta Terra e os sustos viajando íntimo de mim. Que se busca e se acha pelos meios de seu fim: o amor. A vida é sempre nua e crua em suspense de telenovela que atua pelos dias findos no resgate do legado quase vindo além do contrário de ser, ter o que não se tem lamentável mente. Só quem navega em luz sabe do naufrágio da escuridão escoando pelos dedos e o mar do coração. Inventariado – e isso faz de mim a pureza dos pecados por amar demais profundamente sob o raso das alturas e o repente ser. Nada me prende a nada senão o tudo da quase estrada para nunca mais! Sempre forte nunca vago na chegada da partida. Nenhum destino faz o homem senão pela carne e o sangue de seu nome. Nenhum navio chega ao porto senão pelas águas de seu torto oceano. Ninguém se sabe ou se busca muito além de si – e isso é uma forma de ficar e partir amando pela força de outra força e o amor sempre chegando. Infinitamente.
(Copydesk/fragment by EUGENIO SANTANA, jornalista, escritor, ensaísta, consultor, analista de marketing digital e relações públicas – Encantador de pérolas, esmeraldas e diamantes...)