quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

AMOR, INEXPLICÁVEL, AMOR (*)

Eu, se fosse você, não terminava. Às vezes ficamos mais presos a um amor quando ele “termina” do que quando nos mantemos na relação. Em determinadas relações amorosas, ficamos muito mais sufocados pela ausência da mulher que amamos do que pela presença dela. A verdade é que mesmo sem certificado de garantia, a relação prossegue, pois, além de dúvidas, existe amor e desejo. E isso ameniza tudo. Os dois estão unidos, por laços eternos, nessa alternância entre a luz e a sombra. Por que temos urgência de abandonar um amor pelo fato de ele não ser fácil? Quem garante que sem esse amor a vida não será infinitamente mais difícil?
(*) por Eugenio Santana, escritor e jornalista de projeção nacional – MTb 1319-RJ)