sexta-feira, 15 de março de 2013

CRIMES VIRTUAIS SÃO PUNIDOS EXEMPLARMENTE (*)

Meus “algozes” – fraquíssimos, por sinal – talvez não saibam da veracidade e avanço do poder judiciário. São enquadrados na categoria de crime virtual, especialmente por calúnia, difamação, injúria e, sobretudo, danos morais. São tão medíocres que eu sinto que não vale a pena acionar a justiça por tratar-se de pessoas desqualificadas, desequilibradas e sem projeção social, intelectual ou financeira. Uma velha bruxa ensandecida e covarde. É digna de pena, a coitada. Já tentou inutilmente mudar seu corpo e face, usando cirurgia plástica por diversas vezes e o resultado? Catastrófico. Veste como cigana, usa lentes de contato para passar uma imagem falsa de que possui origem européia. Aos 63 anos, essa senhora ninfomaníaca perdeu a noção de ética e estética. Quis me “comprar” e assediar, recusei-me porque não estou à venda e não suporto mulheres feias e acima de 42 anos. Por isso é que escreve mentiras impublicáveis, porque eu me recusei a namorar essa velha vadia. Essa criatura abominável não evoluiu: usa o veneno da vingança e do ressentimento. Por conta de minha resistência, essa senhora beirando a terceira idade, vive me perseguindo pela internet. Que fique bem claro para essa IMBECIL: tenho um dossiê completo sobre os ataques que tem feito com insistência. Não respondo. Não vale a pena responder às pessoas insanas, inexpressivas e movidas pelo ódio. Deixa que essa velha descompensada morra por meio do seu próprio rabo – venenosa como os escorpiões. Meu assessor jurídico está de plantão visto que, possuo vasto material impresso dessa velha cigana que tenta em vão me denegrir. Não entro nesse jogo, nasci para a prática diária do Bem, do perdão, da solidariedade, da gratidão, da empatia e do amor incondicional. Esse ser abjeto necessita é de tratamento psiquiátrico – com internação imediata. Sou autêntico. Tudo em minha vasta biografia é verdadeiro e não me preocupo se acreditam ou não. Possuo farta documentação legal para comprovar. Trabalho desde os 16 anos e todos os meus diplomas e títulos possuem autenticidade. Tenho berço e meus pais me educaram dentro das primícias da verdade. Possuo cinco carteiras profissionais preenchidas, nas páginas de Contrato de Trabalho, em conseqüência das diversas empresas que atuei. Trabalho, meu nome é trabalho. Atualmente, sou Consultor numa empresa top de linha na área de internet de última geração, com tecnologia canadense. Na condição de jornalista profissional Mtb 1319/JP, fundei e editei revistas, jornais, publiquei livros, e já trabalhei em órgãos de imprensa respeitáveis, incluindo uma Superintendência de Jornalismo no Rio de Janeiro. Senhora doida, vai trabalhar, vagabunda! E se enturmar com grupos que apóiem suas sandices. Mude o seu foco. Viva a sua vida torpe e vê se me esquece. Pare com suas calúnias e mentiras. Já que é uma idosa, deveria ser portadora de um mínimo de sabedoria. Seu nível de loucura e covardia é tão gritante, que usa pseudônimo – ridículo, por sinal. A senhora não tem credibilidade nenhuma; loucos são os que acreditam nessa velha que se diz portadora de “poderes”. Tenha temor a Deus, este sim é o TODO-PODEROSO – o Altíssimo: Onipotente, Onisciente e Onipresente. Seu fim está próximo, cadela velha – por meio da Justiça Divina e/ou justiça dos homens ou através de uma circunstância trágica. Muito cuidado com suas ações malignas. Meus protetores espirituais possuem uma força infinitamente universal. A senhora é tão à-toa que usa, em suas difamações, nomes de meus familiares invejosos e fracassados, minha ex-mulher e filha. Não me preocupo. A minha consciência está serena e Deus me conhece. Quanto aos outros, caso acreditem em 1% na senhora, estão vibrando ao mesmo nível de sua loucura. Portanto, são pessoas vulneráveis, fracas e idiotas já que se nivelam por baixo. Tentar denegrir um homem público e formador de opinião é crime, minha senhora. Só não cogito em puni-la pelas vias legais, porque sei que a JUSTIÇA DIVINA será implacável com sua alteza. Vale salientar que, aquele seu companheiro homossexual quando postou algo contra mim e, o mais grave, usando o nome de minha mãe, no dia seguinte ele amanheceu MORTO. Não brinque com o SAGRADO e com os poderes ocultos. A senhora é o ser mais vil, abjeto, asqueroso, sem escrúpulo, sem ética que eu conheci ao longo de toda a minha vida. Esqueceu da Lei da Ação e Reação e do efeito bumerangue? O mal que tenta me causar volta sempre para a senhora, inapelavelmente. Cita o nome de alguns ex-amigos: covardes, medíocres, invejosos e decrépitos – tente um romance com eles, vocês se merecem e esses crápulas não merecem mais a minha amizade leal. A fila anda, zerei o passado, não olho para trás – possuo novos amigos, novos projetos e planos. A senhora buscou refúgio nos piores aliados: trata-se de uns “manauaras”, (quem nasce em Manaus), são pessoas alienadas que desconhecem o sentido do debate, da liberdade de expressão. Por conta de uma crônica, publicada por mim, no respeitável “DIÁRIO DA MANHÔ, onde trabalhei, um dos melhores jornais deste país, denunciando as mazelas sociais daquela cidade, se acharam no direito de me caluniar pela net – são abutres covardes. O principal leitmotiv da mídia é o compromisso com a VERDADE. Doa a quem doer. É o que eu retratei em minha crônica que apenas aponta as sujeiras de uma capital brasileira. E sei que fui ameaçado de morte por eles. Tim Lopes morreu porque investigava por meio de reportagens verdadeiras. Arnaldo Jabor, para o meu contentamento, continua vivo. A senhora não existe. É FAKE. É feia e ordinária. Não a temo e não respondo às suas provocações. MENTI-ROSA. Mente e calunia descaradamente e só possui merda nos neurônios. Como todos os vampiros, a senhora fede, exala um odor insuportável. Bala de prata ou estaca de aço no coração de pedra? O Cósmico escolherá a punição adequada, se é que ainda está viva, rokza leoa de sion – isso é nome de gente? Um codinome horroroso. O pseudônimo é tão ínfimo que só merece ser escrito em letras minúscula. A senhora é minúscula até na estatura. Falsos e covardes se escondem atrás de pseudônimos. (*) EUGENIO SANTANA, FRC É JORNALISTA PROFISSIONAL, INVESTIGATIVO E CULTURAL – REGISTRO NO MINISTÉRIO DO TRABALHO 1319/JP.