domingo, 4 de novembro de 2012

A BREVIDADE DA VIDA (*)

A vida na terra é uma atribuição efêmera. Nossos dias sobre a terra são transitórios como uma sombra. Para usar sua vida da melhor forma possível, você não deve nunca esquecer duas verdades. Primeira: em comparação com a eternidade, a vida é extremamente breve. Segunda: a terra é apenas uma residência temporária. Você não ficará aqui por muito tempo, então não fique muito apegado. Peça ao Todo-Poderoso que o ajude a ver a vida na terra como ele a vê. Mostra-me como a vida é curta e eu sou frágil. Você só está de passagem, apenas visitando. As pessoas deveriam carregar "green cards" espirituais, para nos lembrarmos de que a nossa cidadania é no céu. A nossa identidade está na eternidade, e a nossa pátria é o céu. Quando flertamos com as tentações deste mundo, o Ser Supremo chama isso de adultério espiritual. É somente ao lembrarmos que a vida é um teste, uma incumbência de confiança e uma atribuição temporária que o encanto dessas coisas perderão o domínio sobre nossa vida. As coisas que vemos agora estão aqui hoje e amanhã se foram. Mas as coisas que não podemos ver agora vão durar para sempre. Para impedir que fiquemos muito apegados à terra, Deus nos permite sentir uma substancial quantidade de descontentamentos e desgostos na vida - anseios que jamais serão satisfeitos deste lado da eternidade. Não somos completamente felizes porque não era para sermos! A terra não é nosso lar definitivo; fomos criados para algo muito melhor. Você terá momentos felizes por aqui, mas nada comparado ao que Deus tem planejado para você. Tudo o que não é eterno é eternamente inútil. É preciso ter fé para viver na terra como estrangeiro. (*) EUGENIO SANTANA é escritor, jornalista e poeta.