domingo, 3 de junho de 2012

NÃO BASTA VIRAR A PÁGINA, É NECESSÁRIO RASGÁ-LA (*)




A capacidade de deixar os acontecimentos passados para trás e seguir em frente deixa a pessoa em uma posição de encarar os desafios atuais com entusiasmo e um mínimo de peso em seu portfólio individual.

Aquele que é incapaz de superar as feridas e os fracassos anteriores é mantido refém do passado. O peso que carrega dificulta sua caminhada. Ao longo da minha vida, ainda não encontrei alguém que fosse bem-sucedido e ao mesmo tempo continuasse lutando com suas dificuldades e frustrações do passado. O passado deve ser enterrado.

Em algum momento você está sentado em território familiar com uma canção nos lábios e, de repente, a multa de trânsito chega, o e-mail de rejeição vem, o médico telefona, o cheque volta, o cartão de crédito ultrapassa o limite, você perde o emprego...

Você foi sugado para dentro de uma escura caverna de dúvidas, um labirinto de tarântulas. Nocauteado com a água fria da realidade e atormentado com o ar quente das promessas vazias.

A vida que tinha sido tão calma virou, agora, uma tragédia. Você é atacado por exigências, assaltado por dúvidas, apunhalado por perguntas. Em algum momento do trauma, você perdeu a alegria; em algum lugar da tormenta, você perdeu a canção.

As pessoas que não são capazes de vencer o passado permitem que suas experiências negativas determinem as cores de seu caminho nos dias atuais.

Sei que as pessoas sofrem tragédias reais neste nosso mundo imperfeito. Elas perdem filhos, cônjuges, pais e amigos – às vezes em circunstâncias horríveis. As pessoas contraem câncer, esclerose múltipla, Aids, e outras doenças degenerativas. Sofrem inenarráveis abusos nas mãos de outros. Todas estas coisas são verdadeiras, mas tragédias não precisam impedir a pessoa de ter uma perspectiva positiva, ser produtiva e viver uma vida plena.

Enterre seu sofrimento egoísta. O sofrimento que o impede de ser feliz, o impede de pensar positivamente e de ajudar outras pessoas.

Some suas alegrias e não conte jamais as suas tristezas. Olhe o que você deixou para trás em sua vida; não olhe para o que perdeu. Em momentos de sofrimento você fica tão engolfado e absorvido pelo impacto, pela dor e pela frustração que perde de vista as alegrias, que ainda estão vivas sob o manto do sofrimento. Decida-se a descobrir suas alegrias submersas para que respirem e floresçam novamente!

Há muitas coisas pelas quais você deve ser grato, mesmo que não sinta gratidão.

Comece por recordar. Reviva suas lembranças felizes. Rememore a grande coleção de experiências alegres do passado. Com certeza já lhe aconteceram coisas maravilhosas.

“Conte o jardim pelas flores, e nunca pelas folhas que caíram. Conte seus dias pelas horas ensolaradas, nunca pelas nuvens. Conte suas noites pelas estrelas, nunca pelas sombras. Conte sua vida pelos sorrisos, nunca pelas lágrimas.”

(*) EUGENIO SANTANA é Jornalista, Escritor, Ensaísta literário, Publicitário, Assessor de Comunicação, Relações públicas, ex-superintendente de Imprensa no Rio de Janeiro. Integrante da ALNM-MG, UBE/SC, Greenpeace/SP, ADESG-DF. Autor de livros publicados. Dezoito prêmios literários nos gêneros conto, crônica e poesia.