segunda-feira, 7 de maio de 2012

POETAS




Não fossem os poetas,
quem adivinharia o futuro?
Quem quebraria o muro
da moral tradicional?

Não fossem os poetas,
quem amaria o feio,
quem se comoveria?

Quem, anarquista, niilista,
diria o que você pensa?
O Poeta, o Profeta, o Vidente,
escreve o que sente.

Não fossem os poetas,
os incompreendidos de todos,
odiados pelos conservadores,
quem, sofrido e massacrado,
diria o que você sonha?


(*) Copydesk/fragment/releitura by Eugenio Santana – jornalista, escritor, comunicólogo e extraterrestre