terça-feira, 20 de março de 2012

UM HOMEM DE CHEGADAS E PARTIDAS




Aprendi muito cedo
a não me comover com as partidas – Asas partidas?
É que eu sou um guerreiro precário
de uma causa quase infinita no ser humano
creio ter como logomarca – ou tatuagem na alma?
um sonho blue de visionário incorrigível,
a melhor Utopia plausível – o Solar dos Pássaros?
É que eu sou um homem efêmero
de projetos e planos passageiros
de moral provisória – de ética permanente
e alguns valores absolutos.
É que sendo um homem provisório
de uma causa circunstancial
eu devo me adequar às partidas
pois eu sou frágil - forte é nossa luta
que causa tantas partidas.

Por isso as partidas não me impactam mais...
Com elas moldo a essência do meu poema.
Nenhuma pessoa amada deve se preocupar comigo:
posso viver serenamente mesmo com tantas partidas,
algumas ganhas - a maioria perdida.
Pássaro volátil - vôo daqui um dia
planando pra qualquer lugar onde a voz do homem for frágil ou amordaçada.

(EUGENIO SANTANA é jornalista e escritor)