sábado, 7 de janeiro de 2012

OCEANO DA TRANSCENDÊNCIA


OCEANO DA TRANSCENDÊNCIA – Se queres ser feliz, não contabilizes as perdas do passado. Coleciona afetos, permite que lagartas se transmutem em borboletas, silencia as palavras sem raízes no coração.

Segue o conselho de Ulisses e foge dos que mastigam lótus em busca da amnésia que produz ilusão de felicidade.

Deixa a chuva embriagar-te, oferta luas à amada e faz da poesia a tua lógica. Ergue teu cálice aos trovadores do inaudito e aos que conhecem o segredo de fazer brotar água de pedra. Descobre Deus nos que aprendem a morrer, todos os dias, para os apegos medíocres e, livres, alçam vôo rumo ao oceano da transcendência.

Reverencia o silêncio como matéria-prima do amor e dá as mãos aos que suprimem a letra erre do verbo armar e se recusam a ser reféns do pessimismo. Sê solidário com os poetas sem poemas, os músicos sem melodias, os pintores sem cores e os escritores sem palavras e com os que jamais encontraram a pessoa a quem declarar todo o amor inefável.

(Eugenio Santana é Jornalista, Escritor, Publicitário, Relações públicas, Copidesque)