quarta-feira, 31 de agosto de 2011

SOU O ALVO





Sou o alvo.
Contra o veneno letal dessa serpente,
dose dupla de antídoto necessito.

Sou o alvo.
Se fosse ainda aquele barco,
balas se alojariam no meu casco.
Seriam os piratas
em treinamento de tiro?

Sou o alvo.
A noite engendra seus cactos
que vão se multiplicando
entre pedras, como os ásperos poemas.
Sou o alvo.



(copydesk/fragment by Eugenio Santana)