quarta-feira, 8 de junho de 2011

DESPERTAR É COMO ESTAR NUMA FESTA COM MILHARES DE PESSOAS, ONDE TODAS ESTÃO EMBRIAGADAS, MENOS VOCÊ




VOCÊ É A ENERGIA que brinca com sua mente e que, para divertir-se, usa seu corpo como brinquedo favorito. É para isso que está aqui, para brincar, para divertir-se. Nasceu com o direito de ser feliz, com o direito de aproveitar a vida. Não está aqui para sofrer. Quem quiser sofrer, que sofra, mas isso não é necessário.
Então, por que sofremos? Porque o mundo inteiro sofre, e acreditamos que o sofrimento é algo normal. Criamos um sistema de crenças para apoiar essa “verdade”. As religiões dizem que viemos ao mundo para sofrer, que a vida é um vale de lágrimas. Sofra agora, com paciência, pois terá sua recompensa quando morrer. Palavras bonitas, mas falsas. Escolhemos o sofrimento porque aprendemos a sofrer. Se continuarmos a fazer as mesmas escolhas, sofreremos sempre.
Quando nos tornamos sábios, não precisamos usar todas aquelas imagens que criamos. Não temos de fingir que somos outra pessoa. Nós nos aceitamos como somos e, por meio dessa aceitação de nós mesmos, aceitamos todas as outras pessoas. Não mais tentamos mudá-las, nem impor nosso ponto de vista. Respeitamos as crenças delas. Aceitamos nossa condição humana, com todos os instintos de nosso corpo. Somos animais, e não há nada de errado nisso. Somos animais, e os animais seguem seus instintos. Somos humanos e, por sermos tão inteligentes, reprimimos nossos instintos, tapamos os ouvidos à voz do coração. Vamos contra nosso corpo e tentamos reprimir suas necessidades, ou negar sua existência. Quem tem sabedoria não faz isso.
Quando nos tornamos sábios, respeitamos nosso corpo, nossa mente, nossa alma. Deixamos que o coração, e não a cabeça, governe nossa vida. Não mais sabotamos a nós mesmos, nossa felicidade, nosso amor. Não mais carregamos remorsos e culpas. Não mais nos julgamos, nem julgamos as outras pessoas. Todas as crenças que nos tornaram infelizes, que nos obrigaram a levar uma vida de lutas, tão difícil, desvaneceram-se.
Abandone a idéia de querer ser o que não é, torne-se você mesmo. Renda-se à sua natureza, ao que realmente é, e não mais sofrerá. Rendendo-se ao seu verdadeiro eu, você se rende à vida, a Deus. E depois da rendição não há lutas, não há mais resistência, não há mais sofrimento.
Sendo sábios, sempre iremos pelo caminho mais fácil, que é sermos nós mesmos. O sofrimento nada mais é do que a resistência a Deus. Quanto mais resistimos, mais sofremos. Simples assim...
Despertar é como estar numa festa com milhares de pessoas, onde todas estão embriagadas, menos você. A verdade é que a maioria dos humanos vê o mundo por meio de suas feridas e de seu veneno emocional. Eles não têm consciência de que vivem um sonho infernal. Não estão conscientes de que vivem um sonho, da mesma forma que um peixe nadando não está consciente de que vive na água.
Quando você está desperto e é a única pessoa sóbria numa multidão de bêbados, é capaz de sentir compaixão, porque também já esteve embriagado. Não precisa julgar ninguém, nem mesmo os que vivem no inferno, porque você também já viveu lá.
Quando despertamos, nosso coração é uma expressão do espírito, do amor, da vida. O despertar acontece quando tomamos consciência de que “somos a vida.”

(*) por Eugenio Santana, escritor, jornalista. Integrante da ADESG-DF, ALNM-MG, UBE-GO/SC, AMORC-PR, SJP-DF, FENAJ-DF e GREENPEACE-SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário