domingo, 17 de abril de 2011

UMA ESCADA PARA O PLANO INFINITO




MONTE SAINT-MICHEL é uma quase-ilha situada na baía de Saint-Malo, no mar da Normandia. Lugar de mistério desde a pré-história, pode ser visto desde muito longe por quem vem pelas estradas que serpenteiam sobre as colinas normandas. Na base há uma aldeia medieval feita de casarões de pedra cinza-amarelada; mais acima um enorme mosteiro beneditino que parece um castelo; no ponto mais alto está a abadia gótica; por fim, como a emergir da própria abadia, uma agulha altíssima, em cuja extremidade rebrilha ao sol a estátua dourada do arcanjo Miguel.

Há mais de mil anos o Monte Saint-Michel atrai peregrinos católicos de todo o mundo. Ele é considerado o verdadeiro coração da França: a morada do arcanjo Miguel, patrono da nação francesa.
Monte Saint-Michel ilustra à perfeição o simbolismo universal da montanha. Lugares particularmente carregados de sacralidade, as montanhas são entendidas como pontes de ligação entre a terra e o céu.
Elas representam um eixo vertical que articula os três níveis ou planos do mundo: o celeste, o terrestre, e o mundo inferior.

O MONTE é um lugar iniciático por excelência, um templo natural onde torna-se possível a passagem de uma situação profana a uma situação sagrada.
Um lugar iniciático costuma apresentar características precisas: é sempre de acesso difícil; o mar da Normandia, com suas marés violentas que duas vezes por dia impedem a entrada ao monte, materializa perfeitamente essa idéia. Este é um lugar de mistério cavado no fundo do labirinto de corredores e salões que existe na base do mosteiro, e onde a luz do dia não consegue penetrar há mais de um milênio.
O lugar por excelência de acesso aos mistérios do arcanjo Miguel. Um culto que tem suas raízes nos próprios fundamentos do cristianismo como caminho espiritual.

OS ANJOS PERTENCEM A UMA LINHAGEM muito antiga de entidades espirituais. A tradição caldéia, milênios antes de Cristo, já conhecia sete espíritos celestes assimilados aos planetas. Os arcanjos correspondem a esses planetas, e Miguel está associado a Mercúrio, o deus Hermes dos antigos gregos. A Bíblia integrou a figura flamejante desse Anjo da Luz, a quem foi atribuído o papel central de chefe das milícias celestes, o vencedor da Besta, no Apocalipse de São João.

COMO O DEUS MERCÚRIO, ao qual seu mito está ligado, o arcanjo é o "psicopompo", o condutor das almas na passagem da vida terrena para a vida espiritual por meio da morte. Na trova medieval "A Canção de Roland", São Miguel vem em pessoa recolher a alma do paladino agonizante para conduzi-la ao paraíso.

(copy-desk by EUGENIO SANTANA, FRC - Escritor e Jornalista. Membro efetivo da ALNM - Academia de Letras do Noroeste de Minas Gerais, cadeira nº 2).

Nenhum comentário:

Postar um comentário