terça-feira, 19 de abril de 2011

PERFUME DE MADRESSILVA


O que restou em tua boca
deixou sob as palavracesas
um perfume de madressilva.

Nada ficou indiferente ao teu sorriso largo:
a casa abriu-se como pétalas
e um enorme arco-íris pousou inteiro
na visão do adeus
de tuas delicadas mãos insones.

(copy-desk by EUGENIO SANTANA, FRC - Escritor e Jornalista. Membro efetivo da Academia de Letras do Noroeste de Minas (ALNM), cadeira nº 2)

Nenhum comentário:

Postar um comentário