quarta-feira, 23 de março de 2011

O PÁSSARO E A ÁRVORE




- Sou mesmo – um Pássaro!
Alado – vôo ao seu encontro
Com imensas Asas de Amor...

Amo minha árvore frondosa,
Preferida e única:
Em sua copa
O meu pouso é seguro.

Os galhos – são seus braços-afagos
Tentáculos que me abraçam, carinhosos;
Seu tronco registra o romance – meu diário refúgio.

As folhas – sua úmida boca, amada
Aonde sacio a interminável sêde
De molhados beijos seus!

Ah, seus frutos sazonados!
O cardápio de delícias completa-se:
Acaricio – faminto - a árvore inteira.
O belo corpo – fruta saborosa
Não deve faltar à minha mesa.

E suas flores – amadárvore?!
Oferecem-me o perfume
Mais íntimo e secreto:
- o labirinto de vinte duas pétalas de rosas...

Minha árvore favorita
Sem você não há teto – nem afeto.
Alimento-me do seu Amor.

Não há Pássaro sem árvore
E não existe Árvore sem Pássaro!



(*) – Publicado no meu jornal lítero-cultural, “Verbo-Pássaro”,
em janeiro de 2007. Edição nº 15, Niterói, RJ

(copy-desk by EUGENIO SANTANA, FRC – Jornalista, Escritor, Ensaísta literário, Publicitário, Assessor de Comunicação, Editor, Coordenador de RH, Relações públicas, Gerente Administrativo/Comercial. Integrante da ALNM-MG, UBE/GO, Greenpeace/SP, ADESG-DF. Autor de livros publicados. 18 Prêmios literários nos gêneros conto, crônica e poesia; Self-mad man e Verse maker.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário