terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

SEMPRE ILHA




Sempre.
Fizeram-me ilha,
Filha.

Sempre.
Asa de um coração
Infinito.

Ainda que – náufrago
Em perdida ilha, filha.

Antigas vidas, filha.

Sempre.

Fizeram-me Ilha,
Filha.

Sempre.

Reencontro?
Muito além
Do Plano Infinito!

E seremos – juntos
Eternos.

Com ternura, filha.

Sempre.

Florianópolis-SC, 09/09/99

(Para Nuria Liz)

Por Eugenio Santana – Escritor, Jornalista, Poeta, Crítico literário, Rosacruz, publicitário e Editor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário