sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

SABER DISCERNIR A DIFERENÇA ENTRE O QUE É NECESSÁRIO E O QUE É DISPENSÁVEL


Alguns hábitos são benéficos, outros prejudiciais. A tendência é termos os dois tipos. Você tem uma série de hábitos. Talvez não goste de ouvir isso, mas a maioria das coisas que você pensa, diz ou faz vem dos hábitos que você desenvolveu. Os hábitos estão sempre presentes, quer você tenha consciência deles, quer não. Você tende a praticar o que aprendeu e se torna isso.
Tudo aquilo que você faz diversas vezes torna-se um hábito. Você fica bom naquilo que pratica. Contudo, nem todos os hábitos são úteis, e os maus hábitos podem se tornar “senhores” cruéis que sabotam o nosso bem-estar. Fumo, bebida e uso de drogas podem rapidamente se desenvolver e em hábitos que arruínam nossa saúde e nosso relacionamento com os outros. Além dos perigos das drogas que geram dependência, existem hábitos bem mais sutis que podem ser tão perniciosos quanto estes para o nosso desenvolvimento em direção ao sucesso.
O hábito do pensamento negativo a nosso respeito e a respeito das nossas oportunidades é tão autodestrutivo como o hábito de divagar, em vez de se concentrar no trabalho. O ato de ficar adiando as coisas é um hábito insidioso e autodestrutivo que já arruinou muitas vidas.
Quando um padrão de comportamento se torna um hábito, ele se torna tão familiar que fica parecendo parte de nós, mas, de fato, os hábitos são aprendidos e praticados. Assim, como os aprendemos, podemos esquecê-los. Através da observação de si próprio, você pode se tornar consciente daquilo que lhe faz mal, no seu hábito de agir e de pensar. Quando você estiver consciente do hábito que quer modificar, poderá esquecê-lo e substituí-lo por um comportamento automático diferente e mais cuidadoso.
Por que não fazer uma honesta avaliação das coisas que o estão atrapalhando hoje? Como seria sua vida sem elas? Então, com convicção, corrija seu comportamento e seja o senhor dos seus hábitos para que eles possam lhe ser bons servos.

(por Eugenio Santana, FRC – escritor, jornalista e poeta.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário