quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

QUANDO TEMOS "QUEIJO" EM NOSSAS ATITUDES, O MUNDO TODO CHEIRA MAL


Não tente mudar outras pessoas. Isso não funciona. Você irá desperdiçar sua vida tentando.
Essa é uma grande verdade. Quando temos “queijo” em nossas atitudes, o mundo todo cheira mal. Nós, como indivíduos, somos responsáveis por nossa visão de mundo. Nossa atitude e ação em relação à vida ajudam a determinar o que nos acontece.
Seria impossível estimar o número de empregos perdidos, de promoções não obtidas, de vendas não realizadas e de casamentos desfeitos por causa de atitudes medíocres. Entretanto, quase todos os dias, testemunhamos empregos adquiridos, mas odiados e casamentos tolerados, mas infelizes, tudo porque as pessoas esperam a mudança dos outros ou do mundo, em vez de perceber que são responsáveis por seu próprio comportamento.
Muitos de nós passamos tempo demais tentando mudar as pessoas que convivem conosco, quando deveríamos ser a mudança que desejamos ver nos outros.
Por conseguinte, ceder é admitir que tenho limitações, o que significa que o resultado final não depende de mim; ceder é não tentar modificar ou culpar outras pessoas; eu só posso modificar a MIMESMO. Ceder não significa adaptar tudo conforme meus desejos, mas aceitar cada dia como ele é e apreciar cada momento. Ceder é temer menos e AMAR mais.
Viver é como receber uma por uma as peças de um mosaico ou de um quebra-cabeça. O mosaico é a “realidade”. Não vem todo de uma vez em uma caixa com uma bela embalagem. Vem peça por peça em pacotes onde está escrito “dias”. Cada dia traz novas peças. Cada nova peça dá sua própria contribuição de um entendimento mais profundo ao quadro completo da realidade.
Juntamos as peças de maneiras diferentes porque cada um de nós percebe a realidade à sua maneira. As qualidades mais necessárias para a construção de uma visão adequada e exata são abertura e flexibilidade. A armadilha a ser evitada é a rigidez.
“Nunca subestime o seu poder de mudar
A si mesmo e nunca superestime o seu
Poder de mudar os outros.”

(por Eugenio Santana, FRC – Self-mad man: jornalista profissional de mídia impressa, copy-desk, revisor de textos, Gestor Comercial e Administrativo, Coordenador de RH, Relações públicas, Vendedor de “idéias”, escritor premiado, poeta consagrado, “Adesguiano”, Rosacruz desde 1983; ecologista, humanista, socialista e holístico de “carteirinha.”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário