segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

GRANDE É O DIA DE HOJE, TÃO BONITO...


Grande é o dia de hoje, tão bonito,
É bom viver neste tempo... nunca existiu tempo melhor.
Grandes somos eu e você,
Somos tão bons e maus quanto os mais velhos e mais novos ou qualquer um,
Somos capazes de fazer tudo o que o melhor e o pior deles fazem,
Tudo o que sentiram... não sentem isso em vocês?
O que desejaram... não desejamos também?
Grande é a qualidade de verdade no homem,
A qualidade de verdade num homem se sustenta em meio a todas as mudanças,
Está no homem inevitavelmente... ele e ela estão apaixonados, e nunca se largam.
Ó verdade da terra! Ó verdade das coisas! Decidi ir até o fim pra chegar até você,
Soe sua voz! Escalo montanhas ou mergulho no mar pra te encontrar.
Grande é a bondade;
Não sei o quê é bondade mais do que é saúde... mais sei que ela é grande.
Grande é a maldade... sempre me pego admirando-a tanto quanto a bondade:
Chama isso de paradoxo? Com certeza é um paradoxo.
O eterno equilíbrio das coisas é grande, e a eterna subversão das coisas é grande,
E este é outro paradoxo.
Grande é a vida... é real e mística... seja aonde for e o que for,
Grande é a morte... Certa como a vida junta todas as partes, a morte junta todas
As partes;
Certa como as estrelas retornam depois de fundirem-se na luz, a morte é tão grande
Quanto a vida.

(copy-desk by Eugenio Santana, FRC – escritor, jornalista e poeta.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário