sexta-feira, 9 de julho de 2010

AH, MEU FILHO... (*)


Ah, meu filho!
Quantas galáxias
separam-me de ti?
Estou aqui, meu filho:
tão próximo,
tão distante!...

Então... Sorria...
Pense na magia que trazes no olhar,
Já ancorei em tuas retinas.
Lembras-te quando disseste:
- “encanto lunar”
- “oh, minha musa-lua
leal eterna namorada”...

Olhando as Estrelas
Fizeste o pedido:
- “flor celeste, ilumine meu coração
ao encontro de um novo Amor “...
Ao Astro-rei:
- “bom-dia, Sol!”
- Ao mendigo, ofereceste
Alimento e refúgio;
À criança órfã, a mão amiga;
Ao ancião, soubeste ouvir e compreender;
Ao desafeto, o perdão.

Ah, meu filho!
Estou cuidando, hoje, de ti:
Afagando teus olhos, tua alma e coração,
Beijando teu rosto desfigurado!...

Ah, meu Filho-irmão!
Tu me reconheceste em tua crônica
E crê em minha parusia
E me chamaste “Mestre-dos-Mestres”,
“Sol-do-Verbo”...
- Eu sou Jesus, Homem- do- Céu,
Teu amigo-irmão;
O Cristo Cósmico – o Perdão!

(EUGENIO SANTANA, FRC)

(*) Manaus-AM, 21/03/2007 – inédito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário