terça-feira, 11 de maio de 2010

VOCÊ FALA COM OS OLHOS


Suas palavras entram em mim de forma inusitada.
Você fala com os olhos. Suas pálpebras sobem, descem, numa alternância incrível; permanecem abertas, semicerradas, fechadas. E atrás delas estão os olhos, lindos e expressivos, compondo uma sinfonia que faz dançar os meus no compasso dos seus.
Vejo o que seus olhos vêem.

Suas palavras trazem a doce canção da sua almaladazul, no timbre do bem-querer que instiga todo o meu ser. Mesmo que fossem em língua estranha, eu entenderia o que você está me dizendo.

Suas mãos, qual asas ao vento, dançam um bailado místico do corpo que emana uma energia sutil infinita, cósmica. Que acende meu vôo de transcendência.

Sua energia é sua vida, que me leva a voar à sua volta, incansável, perdidamente atraído pelo que você é. Levo-a para meus sonhos e devaneios. Quero-a andando pelas nuvens, deitada ao sol, acariciada pela lua, abençoada pelas estrelas. Tudo agora é tão efêmero. Só nós dois. Somos a eternidade.

(Eugenio Santana, FRC – fragmento/copidesque.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário