domingo, 7 de março de 2010

OLHOS DE TOPÁZIO (*)


Difícil resistir
ao encanto dos seus olhos.
Tentei desviar o meu olhar, a atenção
e conversar e disfarçar.
De repente, fui surpreendido
pela doçura e serenidade de sua voz.
Olhos mágicos me desnudaram e desarmaram
estimulando o vôo da alma.
Súbito, perdi a calma
e assisti solenemente a máscara cair,
senti a presença vibrante do amor
e vi sua plena face.
Observadora atenta e envolvente
você despertou o vulcão adormecido,
e das sagradas cinzas da fênix ressurgida
o poeta declara:
o sol alado voltou a brilhar!
O Amor,
este poderoso invasor de corações
domina a vida ávida.
Agora, Vênus-Afrodite
resta-me dizer apenas:
- é demasiado tarde porque já empreendi
a viagem astral-abissal
dentro dos seus olhos de Topázio!...



(*) Fonte: extraído do livro: “FLORESTRELA”.
Hórus/9 Editora, Goiânia-GO, 2002, página 43.

Nenhum comentário:

Postar um comentário